Ansiedade Dói

A ansiedade tem uma forte base física. Cada sintoma físico é um resultado direto da resposta de luta ou fuga do corpo. Quando o cérebro detecta uma ameaça (real ou imaginária – não importa) ele liberará no corpo hormônios do estresse – adrenalina e noradrenalina – para fornecer os recursos físicos para que possamos lutar ou correr, e assim preservarmos a nossa vida.

Sintomas físicos podem incluir um aperto em torno do peito, dores de cabeça, náuseas, tensão muscular, palpitações cardíacas e distúrbios gastro intestinais.

Ansiedade dói.  A dor e o desconforto são diferentes dependendo de cada pessoa, mas a resposta física é tão real quanto o emocional. Para uma explicação detalhada sobre os sintomas físicos de ansiedade e de onde eles vêm, veja aqui.

A ansiedade é como um passeio em uma bicicleta ergométrica – sua adrenalina atinge picos, quando aumentamos o passo os batimentos cardíacos aceleram, suamos, ficamos com o rosto vermelho, mas na verdade, não saímos do lugar.

Tanto a atividade na bicicleta ergométrica quanto a ansiedade iniciam uma resposta física automática projetada para fornecer, com a maior precisão, tudo o que o corpo precisa para lidar com a situação que está acontecendo, ou, no caso de ansiedade, a situação que não está acontecendo.

O passo mais importante para controlar a ansiedade é o entendimento de onde ela vem e por que ela está lá.

A ansiedade é como um “pai super protetor” que luta com a força de um gladiador para nos manter seguros. O problema é que, na maioria das vezes, a sua vigilância muda para hiper vigilância.

Quando alguma coisa é vista como uma ameaça, o corpo humano é imediatamente e automaticamente preparado para correr por sua vida ou lutar por ela. Esta resposta é a resposta “luta ou fuga” e está presente no cérebro humano. ‘Luta ou fuga’ é uma resposta primitiva – toda a ação e não um monte de pensamento. Razão e racionalidade são completamente inúteis contra ela.

Compreender os sintomas físicos é o primeiro e mais importante passo no sentido de obter o controle da ansiedade. Então, vamos lá.

Quando há um perigo percebido um sinal viaja a partir do ambiente para a amígdala, uma estrutura primitiva no hipotálamo (uma parte do cérebro), que automaticamente e imediatamente desencadeia uma resposta de luta ou fuga.

ansiedade dor dor no peito sintomas GATDA

  • A respiração se acelera para abastecer o corpo com oxigênio e facilitar a resposta de luta ou fuga, e você pode sentir falta de ar, dor ou aperto no peito, ou rubor.
  • Se o oxigênio não é gasto através de lutar ou fugir, o oxigênio excessivo pode fazer com que você sinta tonturas, confusão, ondas de calor e até uma sensação de irrealidade.
  • Batimentos cardíacos aceleram e aumentam a frequência cardíaca de forma eficiente para que o oxigênio seja eficientemente distribuído pelo corpo. Com isso você pode sentir como se estivesse prestes a ter um ataque cardíaco.
  • Aumento da pressão arterial que acontece para que se consiga o sangue necessário para os grandes músculos do braço e as pernas (preparação para lutar). Com isso você pode ficar com os músculos tensos e sentir dores musculares.
  • A transpiração aumenta para evitar o super aquecimento do corpo. Com isso você pode se sentir úmido ou suado.
  • As pupilas se dilatam para permitir a entrada de mais luz e melhorar a consciência visual de longa distância para encontrar a rota de fuga. Com isso você pode apresentar uma visão borrada, especialmente de perto.
  • Veias da pele se contraem para enviar mais sangue para os principais grupos musculares. Isto pode deixar menos sangue na pele para o calor e pode trazer sobre o ‘chill’ que às vezes é associada ao medo.
  • O fluxo de sangue é desviado dos dedos das mãos e pés para onde é mais necessário, e para diminuir as chances de sangrar até a morte deve ser a resposta “luta”. Isto pode causar palidez, formigamento e a sensação de “pés frios”.
  • O sistema digestivo é “desligado” para que nutrientes e oxigênio sejam desviados para os membros e músculos que serão ativados em caso de luta ou fuga. Com isso a sua boca pode “secar”, você pode ter a sensação de “borboletas em sua barriga” e sentir náuseas e / ou prisão de ventre.
  • O cérebro fica ocupado concentrando-se na grande “ameaça” – para localizá-la e planejar uma saída. Isso pode levar à dificuldade em se concentrar em pequenos detalhes.

Todos os sintomas de ansiedade têm uma base fisiológica. Eles foram ativados para ação por parte da resposta de luta ou fuga e cada um tem uma parte muito específica e muito importante a desempenhar para garantir a nossa sobrevivência.

O problema, no entanto, que é na sua maior parte não há ameaça para a nossa sobrevivência. Nada para lutar. Nada de fugir.

A resposta de luta ou fuga é primitiva: sempre automática, mas nem sempre precisa. Na maioria das vezes quando ela é acionada não há realmente nenhuma ameaça.

A amígdala, a parte do cérebro que inicia a resposta de luta ou fuga, não pode dizer a diferença entre uma ameaça real e uma ameaça não-real. A ameaça é uma ameaça, real ou imaginada, e todas são respondidas como se elas fossem um perigo real e imediato para a nossa segurança física.

É aí que você entra.

Se não houver uma necessidade óbvia de luta ou fuga, sua resposta de luta ou fuga foi desencadeada desnecessariamente.

A primeira coisa a fazer é lembrar-se disto. Você não está em perigo. Você não está morrendo.

Seu corpo está apenas respondendo a um cérebro que tem super reagido um pouco. Isso acontece com todos nós de vez em quando. Tudo o que você está sentindo está ligado com a resposta de luta ou fuga. Neste contexto, os sintomas físicos são perfeitamente normais, mesmo se a necessidade de luta ou fuga é desnecessária.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *