Seis passos para superar a sua ansiedade social

Para muitas pessoas, estar com outras pessoas ou enfrentar situações sociais é uma agonia.

Cerca de 12% dos adultos dos Estados Unidos experimentam ansiedade social em algum momento de suas vidas, segundo o Instituto Nacional de Saúde Mental.

A ansiedade social está baseada nos pensamentos e crenças distorcidas que temos somos nós. É uma crença de que algo está errado conosco. É a crença que somos incapazes, inadequados, estúpidos ou incompetentes em uma situação social e, que se nos expusermos a essa situação seremos “revelados” e “descobertos” e consequentemente julgados ou rejeitados.

ansiedade social, valeria lemos palazzo, como superar a ansiedade social, dicas para sueperar a ansiedade social, como lidar com a ansiedade social, distúrbios da ansiedade, transtornos da ansiedade, GATDA

Mas, com uma mudança de crenças podemos sentir que estamos mais confortáveis ​​com nós mesmos e com as outras pessoas.

Claro que um processo de terapia lhe dará muito mais ferramentas e será um processo individualizado para ajudá-lo a realmente promover mudanças no seu comportamento sentimentos. Mas existem alguns passos que podem ser seguidos para que você fique mais confortável nestas situações.

1. MUDE O SEU CRITICO INTERNO

Se critico ou “juiz interno” sempre vai fazer você duvidar de si mesmo, imaginar o que de pior pode acontecer, e convencê-lo que definitivamente isso acontecerá. Mas o que “ele” diz não é verdade.

Preste atenção no seu critico interno. Primeiro, especifique exatamente do que você tem medo. Talvez você pense: “Eu vou parecer idiota se disser alguma coisa”. Em seguida, faça três perguntas:

  •  E se eu iniciar uma conversa e a pessoa não se interessar? Tudo bem, alguém pode estar entediado por um momento ou alguém pode olhar para você de um jeito engraçado. Mas isso, definitivamente, não é o fim do mundo.

 

  •  Qual a probabilidade de alguém ser irônico ou agir de forma desdenhosa? Muito baixa. Você realmente acha que as pessoas vão zombar de você ou rir na sua cara?

 

  •  O que fazer se eu iniciar uma conversa com alguém e a conversa não fluir? Você pode sorrir, virar para um amigo ou começar uma nova conversa. A vida continua.

 

2.INTERAJA

Para diminuir a ansiedade em situações sociais, as pessoas muitas vezes olham para seus celulares, usam óculos de sol para evitar contato visual, se escondem em um canto da sala, falam muito pouco ou saem logo daquele ambiente.

Ironicamente, esses comportamentos podem fazer com que você pareça uma pessoa “fria”, distante ou orgulhosa demais – tudo que as pessoas com ansiedade social não são. Eles estão apenas nervosos. Elas pensam que essas coisas são o que as mantém seguras e as impedem de ser julgadas. Mas na verdade, essas são as coisas que mantêm a ansiedade e dificultam as próximas interações sociais.

Da próxima vez, resista à tentação de ficar olhando só para a tela do celular ou fugir do ambiente.

 

3. ENTENDA QUE A CRISE DE ANSIEDADE É PASSAGEIRA

Quando você enfrenta algo que você teme, como uma reunião social, todos os seus sistemas de alarme vão soar. Seu coração dispara, e seu critico interno grita “Você não pode fazer isso!” E existe um forte desejo de sair correndo dali.

Esse momento é terrível, mas também é oportunidade – esta é a chance de desenvolver e usar suas habilidades e ver o que acontece. Aguarde esse período louco passar. Depois que ele passa a nossa ansiedade diminuirá lentamente.

Continue tentando e continue se expondo a as situações sociais. Vale a pena o investimento de estar disposto a sentir-se ansioso por um pequeno momento, a fim de colher os benefícios de se sentir muito menos ansioso ao longo do tempo.

 

4.VOCÊ NÃO PRECISA SER A PESSOA MAIS EXTROVERTIDA E SOCIÁVEL DA SITUAÇÃO

Sentindo a pressão para falar, socializar e dizer exatamente o certo e atrair e agradar a todos é contraproducente porque pode fazer você “congelar” e não dizer nada.

Em vez de ser o “perfeito e idealizado”, é bom apenas ser você mesmo. Está tudo bem em cometer erros, ter pausas nas conversas, perder o seu pensamento. O importante é você ser aberto e gentil e mostrar curiosidade e conexão com as outras pessoas ao seu redor.

Lembre-se, cometer erros, ser vulnerável e autêntico mostra que você é humano e o torna mais agradável aos olhos das outras pessoas.

 

5. ACEITE OS SINAIS DA ANSIEDADE

Não julgue seu coração acelerado, nem suas palmas das mãos suadas. Um pouco de autocompaixão ajudará a colocar algum espaço entre você e os pensamentos ansiosos.

Quando as pessoas estão sob a agonia de ansiedade social, é como estar sob uma cachoeira: preocupações e medos te rodeando. Mas estar atento coloca você atrás da cachoeira: as preocupações ainda estão lá, mas há distância. Você pode observá-los sem ter que levá-los tão a sério.

 

6.VOCÊ SE SENTE MENOS ANSIOSO VIVENDO SUA VIDA

Os ansiosos frequentemente dizem que primeiro querem ficar menos ansioso para que possam finalmente sair e fazer as coisas que estão evitando como viajar, ver amigos ou namorar. Mas isso é uma forma de “não progredir” e enfrentar a ansiedade. Fazer essas coisas AGORA cria confiança, levando a menos ansiedade no futuro.

Comece primeiro criando uma lista de desafios de coisas que o assustam um pouco, como se apresentar a alguém que você não conhece. Anote as situações que você geralmente evita e depois tente. Faça as coisas mais fáceis primeiro, então trabalhe até tarefas mais desafiadoras. Com isso, pouco a pouco, as situações sociais se tornarão cada vez menos assustadores.

 

Valeria Palazzo Valeria Lemos PalazzoAutoria do texto:

Valéria Lemos Palazzo – Psicóloga e Neuropsicóloga

Idealizadora, Criadora e Coordenadora do GATDA – Grupo de Apoio e Tratamento dos Distúrbios Alimentares, da Ansiedade e de Humor

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *