O que são crenças ?

Através dos pensamentos você “escolhe” aquilo em que acredita. Essas crenças criam os “modelos” que fazem as situações na sua vida.

o que são crenças valeria lemos palazzo

A “vitima” não existe, essa é uma leitura perigosa, porque a vítima só “atrai” impossibilidades.

Nossa mente não distingue o real do imaginário, quando você diz que algo “é”, isso se torna uma verdade. Desta maneira, você pode “dar força” para uma ideia para criar uma realidade ao seu redor. Você pode verificar que isto é real quando muda uma crença e vê o que acontece. Isto quer dizer que você faz a sua lei, você é a sua lei. Tudo que acontece ao seu redor não acontece independente da sua vontade, de você. Não somos criaturas passivas. Fazemos a nossa realidade. Isto pode parecer fácil de entender, mas não de aceitar, porque muda a maneira de ver a vida.

Agora você entende que o que crê, fará a sua realidade, e, só a sua. Você pode morar junto, ser irmão ou amigo, mas as coisas (leis) são diferentes para cada um. Cada um é um, fazendo o seu próprio destino. Tudo na sua vida irá “fluir” de acordo com as suas leis. Você é sua lei, o seu próprio legislador. Se você acredita em punição, certamente será punido.

Você está aonde se pôs.  Se você não se achar uma pessoa de “primeira”, a sua vida será de “segunda”. O que é realidade? Realidade é diferente de verdade. Realidade é o que acontece ao nosso redor, que foi criada a partir das nossas crenças. Verdade “é o que é” independente das crenças. Você só experimenta na vida aquilo que acredita.  Temos a tendência de sempre fazermos algo “fora de nós”, porém, a solução é “trabalhar internamente” aprendendo a acabar com o padrão que criou aquilo que não é bom na sua vida.

Os relacionamentos humanos dependem de como nos tratamos, de como nos respeitamos, se as pessoas te desrespeitam ou traem é porque você não tem valor para si e quer ser para o outro. É mais difícil você se aceitar (porque você é cheio de critérios) do que os outros te aceitarem. Temos a imaginação, os modelos, por isso somos os primeiros a nos desrespeitar e rejeitar. Caso você tenha padrões muito rígidos para si mesmo, as coisas e/ou pessoas também te desvalorizarão. Caso você tenha estes padrões rígidos de autojulgamento, deve começar a pensar:

  • Eu não tenho defeitos. Você pode lapidar-se e aperfeiçoar-se. É uma pessoa capaz e não existem limites para isso. Só a ideia (falsa) de limite.
  • Tudo aquilo que eu acredito que pode. Eu posso. O que impede são as ideias de que eu não sou capaz.
  • Os poderes humanos são infinitos. Está tudo dentro de mim (o que atrapalha é a ideia de que isso não é possível)

São as suas idéias que “põe cerca”, colocam limites, em você, e na sua vida. Temos a tendência de acreditarmos mais na doença do que na saúde e na cura.

As possibilidades da vida são infinitas, porém, sempre irão se manifestar depois das suas crenças. Lembre-se que nós somos criados em uma sociedade que coloca “cercas”, temos ideias que mostram que não podemos ir além, ou que devemos nos manter onde estamos inertes, como muitos ficam. Fomos criados com ideias limitantes, mas temos que acreditar no nosso potencial, e, a vida sempre estará disposta a “bancar”, isso está diretamente ligado com a nossa realização e prosperidade na vida. A sua mente pode pensar de maneira pequena e limitada, porém, o segredo do sucesso na vida é não procurar agradar a todos, porque isso vai mantê-lo “amarrado” (já que você NUNCA vai conseguir agradar a todos), mas agradar a si mesmo.

Que homem ou mulher existe aí dentro de você e que ainda não está vivendo? Somos os autores da nossa vida, por isso cada vez que você mudar uma crença terá um encorajamento para dar o próximo passo. Você tem a liberdade de escolher aquilo que que vai acreditar. Só irá acontecer o que você crer. Se você não crê em consequências ruins, isto não vai acontecer (Ex: doença muitas vezes é vista como punição por algo que fizemos errado, mas isso só acontece se você acreditar em faltas e punição. Quando você diz que vai pagar um dia por algo que fez está acreditando na violência, na doença). Você sofre porque acredita em sofrimento. Acredita em limites e situações sem saída, dificuldades, dramalhões e por isso cultua estados trágicos e horrorosos. Você acredita na violência, e a reforça, quando se culpa e mortifica por algo que fez. Nunca mais aceite culpa na sua vida, você é ótimo por tentar tudo que tenta, acertando ou errando.

Os poderes humanos são infinitos. Está tudo dentro de você. O que atrapalha é a ideia de que isso não é possível

Tudo que acontece na sua vida, você acredita que é você seguindo a vida. Mas, é sempre a vida seguindo você e as suas escolhas.

Não escolhemos caminhos, escolhemos atitudes. E as atitudes escolhem nossos caminhos. Atitude é a forma como você se coloca na vida. Onde me coloco, e onde quero me colocar.

Você sofre porque a vida é real, ou sofre por causa dos seus sonhos?

Geralmente com os seus amigos você não tem expectativas, gosta delas pelo que elas são, não fica se iludindo, achando que elas “deveriam ser…”.

Qual foi a sua maior decepção na vida? A sua resposta mostra qual era a sua maior ilusão. A desilusão leva à magoa, ao vitimismo. O pior de se colocar como vítima, é que a vítima é impotente.

Impotente para reagir, para mudar, para transformar.

 

 

 

Texto: Valéria Lemos Palazzo  Psicóloga  CRP 06/35173

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *