Ansiedade – Síndrome do Pânico

O transtorno do pânico é diagnosticado em pessoas que experimentam ataques de pânico espontâneos aparentemente sem “aviso prévio” e vivem frequentemente preocupados com o medo de que um novo ataque aconteça. Os ataques de pânico ocorrem de forma inesperada, às vezes até mesmo durante o sono.

Um ataque de pânico é uma reação a uma situação que faz com que você experimente um medo extremo, mas irracional de algo ou alguém. Os ataques de pânico podem causar dores agudas no peito, causar sensação de falta de ar, levar a perder o contato com a realidade e fazer suar demasiadamente. Se esta é a primeira vez que você experimentou um ataque de pânico, os seus sintomas podem parecer extremos e até mesmo levá-lo a acreditar que você está tendo um ataque cardíaco. Se isso ocorrer, é importante para você que busque ajuda de emergência.

“De repente meu coração dispara, e eu sinto como se fosse morrer”

A maioria dos ataques de pânico podem ser tratados com sucesso. Eles ocorrem em resposta ao estresse criado quando você está exposto a algo ou alguém que você teme. Em alguns casos graves, estes ataques não podem ser “curados”. Em outras palavras, esses ataques não têm fatores desencadeantes conhecidos tornando difícil identificá-los e tratá-los.

Não é incomum para você experimentar ansiedade antecipatória – um medo extremo de que outro ataque de pânico possa ocorrer, quando colocado em uma situação semelhante ou exposto a certos estímulos. O medo de ter outro ataque de pânico pode ser tão debilitante que faz com que você reajuste a sua vida, fazendo tudo para evitá-lo. Entender o que faz com que um ataque de pânico é importante para receber um diagnóstico preciso.

síndrome do pânico ansiedade ataque GATDA

Como diagnosticar um ataque de pânico ?

Ataques de pânico pela primeira vez são muitas vezes diagnosticados como doenças do coração/infarto do miocárdio porque os sintomas podem ser muito semelhantes. Como alternativa, os sintomas de ataque de pânico também podem ser confundidos com histeria. Quando os ataques de pânico ocorrem repetidamente, você é diagnosticado com um transtorno ou síndrome do pânico.

Quais são os sintomas do transtorno do pânico ?

Os sintomas do transtorno do pânico são muito claros para quem sofre deste transtorno.
Enquanto os sinais de um ataque de pânico são bastante evidentes, agorafobia, que muitas vezes acompanha as consequências de um ataque de pânico não é tão perceptível. Um ataque de pânico pode fazer  com que a pessoa tenha tanto medo de ter outro ataque, que ela irá ficar mais tempo em casa, evitar situações sociais e / ou recusar deixar sua zona de conforto. Esses comportamentos podem evoluir para a agorafobia. Algumas pessoas param de estar em situações ou frequentar lugares em que eles tiveram anteriormente um ataque de pânico na expectativa de que isso aconteça novamente.Essas pessoas têm agorafobia, e eles normalmente evitam lugares públicos onde sentem que uma fuga imediata pode ser difícil, tais como shoppings centers, centros comerciais, transportes públicos, ou grandes arenas esportivas. Cerca de um em cada três pessoas com transtorno do pânico desenvolve agorafobia. Seu mundo pode tornar-se limitado à medida que eles estão constantemente em guarda, esperando o próximo ataque de pânico. Algumas pessoas desenvolvem uma rota fixa ou território, e pode tornar-se impossível para elas viajar para além das suas zonas de segurança e conforto sem sofrer ansiedade grave e prejudicar a sua vida.

O ataque de pânico se inicia de forma repentina através do aparecimento de um medo intenso ou desconforto que atinge um pico dentro de minutos e inclui, pelo menos, quatro dos seguintes sintomas:

  • Palpitações, coração batendo, ou batimentos cardíacos acelerados
  • Suor
  • Dormência
  • Sensibilidade nas extremidades
  • Tremor
  • Sensações de falta de ar ou asfixia
  • Sentimentos de asfixia
  • Dor ou desconforto no peito
  • Náusea ou desconforto abdominal
  • Tontura, instabilidade ou fraqueza
  • Arrepios ou sensações de calor
  • Parestesia (dormência ou formigueiro – sensações)
  • Desrealização (sensação de irrealidade) ou despersonalização (estar separado de si mesmo)
  • Medo de perder o controle ou de estar “ficando louco”
  • Medo de morrer

 

transtorno de panico síndrome do pânico distúrbio da ansiedade características GATDA tratamento

 

O que causa os ataques de pânico ?

A causa exata dos ataques de pânico é desconhecida. Anormalidades na estrutura e função do cérebro, desequilíbrios neuroquímicos e fatores genéticos podem contribuir para o desenvolvimento dos ataques e transtorno do pânico. Alguns cientistas acreditam que os ataques de pânico são uma resposta que aprendemos observando e copiando o comportamento dos nossos pais ou o resultado de condicionamento clássico.

Quantas pessoas são afetadas por ataques de pânico ? 

Aproximadamente 3% dos americanos foram diagnosticados com um transtorno do pânico e sofrem ataques de pânico.  Esse dado representa cerca de seis milhões de adultos americanos sofrendo de distúrbio de pânico. O desenvolvimento típico ocorre no início da idade adulta, as mulheres são duas vezes mais propensas que os homens a ter transtorno do pânico. Cerca de 50% destes casos são classificadas como graves. Em torno de 2 a 3% dos adultos têm uma vulnerabilidade a ataques de pânico e / ou transtorno do pânico.
Um transtorno de pânico geralmente começa no início da idade adulta e persiste durante a vida adulta. Você não pode sequer saber que tem um transtorno do pânico até chegar a seus 30 anos devido à falta de sintomas. O transtorno do pânico, por vezes, ocorre em crianças, mas normalmente não é diagnosticado até a adolescência ou na idade adulta.

Uma vez que muitos dos sintomas do transtorno do pânico são semelhantes aos de doenças do coração, problemas de tireoide, distúrbios respiratórios e outras doenças, as pessoas com transtorno do pânico muitas vezes fazem visitas frequentes ao pronto socorro ou a consultórios médicos, convencidos de que eles têm um problema que envolve risco de vida.

No passado, quando a doença era pouco conhecida, o paciente podia levar meses ou anos – incluindo muita frustração – antes de obter um diagnóstico adequado. Algumas pessoas têm medo ou vergonha de contar a alguém, incluindo os seus médicos ou entes queridos sobre o que eles estão passando por medo de serem vistos como hipocondríacos. Em vez disso eles sofrem em silêncio, distanciando-se de amigos, familiares e outras pessoas que poderiam ser úteis.

Muitas pessoas que sofrem de ataques de pânico não sabem que têm uma desordem real e altamente tratável.

Quais são os tratamentos oferecidos pelo GATDA para ataques de pânico ?

Os ataques de pânico são normalmente tratados com medicação e terapia comportamental. O objetivo do tratamento é sempre ajudar você a retomar uma vida normal, sem medo de ter outro ataque de pânico. Medicamentos podem ajudar a controlar os sintomas de ataques de pânico, no entanto, os medicamentos podem levar algum tempo antes que realmente comecem a funcionar e em segundo lugar, eles podem causar efeitos colaterais.
Os antidepressivos podem reduzir o número de ataques, mas pode levar até um mês para se tornar eficazes. 
As terapias de modificação comportamental isoladamente ou conjuntamente com medicação são tratamentos eficazes para ataques de pânico. Além disso, a terapia de exposição, também chamado de dessensibilização sistemática, pode também ser benéficas no tratamento de ataques de pânico. A terapia de exposição incorpora o uso de imagens no tratamento de ansiedade e fobias relacionadas. Durante esta terapia, o terapeuta pede para que o paciente recorde um evento e enfrente os pensamentos e sentimentos que ocorreram durante esse evento, mas em um ambiente seguro, como no consultório do terapeuta. Gradualmente, o paciente é apresentado ao seu medo, e o gatilho do ataque é removido.
As mudanças de estilo de vida também podem ser muito úteis na prevenção de ataques de pânico. Estudos indicam que uma dieta equilibrada, fazer exercícios regularmente, ter um sono adequado e evitar substâncias como cafeína, álcool e drogas estimulantes são atitudes complementares ao tratamento.

assinatura