Ansiedade Fóbica

Pontes altas, novos lugares, ou elevadores antigos podem fazer com que nos sintamos um pouco desconfortáveis ou até mesmo com algum medo. Podemos tentar evitar coisas que nos fazem desconfortáveis, mas a maioria das pessoas geralmente conseguem controlar seus medos e realizar atividades diárias sem incidentes.

Mas as pessoas com fobias específicas, ou com fortes reações de medo irracional, se esforçam para evitar lugares comuns, situações ou objetos, mesmo sabendo que não há nenhuma ameaça ou perigo. O medo pode não faz qualquer sentido, mas elas se sentem impotentes para detê-lo.

As pessoas que experimentam esses medos aparentemente excessivos e indevidos na presença de, ou em antecipação de um  objeto específico, lugar ou situação sofrem de um tipo de ansiedade chamada de fobia específica.

medo de voar GATDA ansiedade fobia

As fobias podem perturbar seriamente as rotinas diárias, limitar a eficiência do trabalho, reduzir a auto-estima e colocar uma pressão sobre relacionamentos, porque as pessoas vão fazer tudo o que puderem para evitar os sentimentos desconfortáveis e muitas vezes aterrorizantes de ansiedade fóbica.

Enquanto algumas fobias se desenvolvem na infância, a maioria parece surgir de forma inesperada, geralmente durante a adolescência ou início da idade adulta. Seu início é geralmente repentino, e elas podem ocorrer em situações que anteriormente não causaram qualquer desconforto ou ansiedade.

As fobias específicas geralmente se concentram em animais, insetos, germes, altura, trovão, condução, transporte público, voos, procedimentos odontológicos ou médicos, e elevadores.

Ter uma fobia muitas vezes é engraçado para os outros, mas para a pessoa que sofre da fobia, não é nenhuma piada. Fobias podem causar reações físicas extremas, tais como ataques de ansiedade, e fazer com que a pessoa fóbica seja social e emocionalmente limitada . Embora as pessoas com fobias percebam que seu medo é irracional, mesmo pensar sobre isso muitas vezes pode causar ansiedade extrema. Imagine sentir realmente um medo extremo de entrar em um elevador. Como isso afetaria seu trabalho, a capacidade de visitar um médico ou seu modo de vida ?

A gravidade da fobia pode variar. Pense nisso em uma escala de 1 a 10, sendo 10 o mais terrível. Uma pessoa com uma fobia pode estar em qualquer posição nesta escala.

Quando  a pessoa com ansiedade fóbica pensa sobre o objeto ou atividade temida ela pode sentir as seguintes reações:

  • Náusea
  • Aceleração dos batimentos cardíacos
  • Suores
  • Falta de ar
  • Vômitos

Quais são os tipos de fobias específicas ?

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, aproximadamente 10% de todos os casos de fobias tornaram-se fobias ao longo da vida. As fobias consistem em um medo de um objeto ou circunstância específica, tais como: medo de animais, alturas, agulhas, espaços fechados, lesões, água, tempestades e / ou morte. Se você tem uma fobia específica, você só sentirá os sintomas quando você pensar ou experimentar esse objeto ou situação específica.

Os quatro tipos básicos de Fobias Específicas:

  1. Fobias Animal: fobias de animais são caracterizadas por um medo de cães, gatos, insetos, roedores, aves, répteis e / ou outro animal. Se você tem uma fobia de animais grave, você apresenta um medo que pode incluir animais artificiais (como cobras de borracha) ou de brinquedo.
  2. Fobias relacionadas a natureza: fobias relacionadas a natureza são caracterizadas por uma inexplicável e / ou medo irracional de tempestades, alturas, água e / ou escuridão. Você tem uma fobia relacionada a um ambiente natural específico quando você tem medo de subir as escadas devido a um medo de altura ou nadar devido a um medo de água.
  3. As fobias situacionais: fobias situacionais são caracterizadas pelo medo de espaços fechados, tais como elevadores, voar em um avião, dirigir um carro e / ou caminhar sobre uma ponte.
  4. Fobias relacionadas à Medicina/ ou lesões: A fobia médica e/ou relacionada com lesão se caracteriza por um medo de contrair uma lesão ou ver sangue. Se você tem uma fobia médica / relacionada com a lesão, você ficará aterrorizada para doar sangue. Além disso, se você tem essa fobia específica você estará mais propenso a ter uma reação de pânico grave se você tem que retirar sangue para um exame. Você também pode ter medo extremo quando você vê agulhas e / ou equipamentos médicos.

Quem é pode desenvolver uma fobia específica?

Fobias específicas podem derivar de centenas de coisas diferentes. As fobias específicas parecem ser causadas por uma combinação de fatores sociais, de desenvolvimento e ambientais combinadas com uma predisposição genética. As fobias específicas podem também surgir como resultado da observação direta. Por exemplo: A mãe tem um forte medo de insetos. Ela involuntariamente transfere seu medo ao seu filho reagindo fortemente na presença de insetos. Além disso, aproximadamente 75% das pessoas que foram diagnosticadas com fobias específicas, muitas vezes têm uma relação com alguém que sofre de uma fobia semelhante.

Fobias podem afetar qualquer pessoa em qualquer momento de suas vidas. Milhares de casos de pessoas que sofrem de fobias não são corretamente diagnosticadas. A fobia pode começar na infância, e se não for tratada, pode enraizar-se firmemente na personalidade de uma pessoa continuando a atingi-la por toda a sua vida adulta. Uma das fobias mais comuns que uma criança pode ter é medo dos terrores escuros ou à noite. A abordagem combinada por um psicólogo juntamente com os pais é necessária para tratar a fobia, quando ela é forte o suficiente para perturbar continuamente o sono da criança.

GATDA fobias específicas ansiedade fóbica

Os tipos mais comuns de fobia são:

  1. Aracnofobia:
  • O medo de aranhas.
  • Esta fobia tende a afetar mais as mulheres do que os homens.
  1. Ophidiofobia:
  • O medo de cobras.
  • Muitas vezes atribuída a causas evolutivas, experiências pessoais, ou influências culturais.
  1. Acropfobia:
  • O medo de altura.
  • Este medo pode levar a ataques de ansiedade e fazer com que a pessoa evite lugares altos.
  1. Agorafobia:
  • O medo de situações em que é difícil escapar.
  • Isso pode incluir áreas populosas, shopping centers, espaços abertos, ou situações que são susceptíveis de desencadear um ataque de pânico. As pessoas que sofrem de agorafobia começam a evitar os eventos e situações que desencadeiam o medo até o ponto de deixarem de sair de sua casa.
  • Aproximadamente um terço das pessoas com transtorno do pânico desenvolve agorafobia.
  1. Cinofobia:
  • O medo de cães.
  • Esta fobia é frequentemente associada com experiências pessoais específicas, como ser mordido por um cão durante a infância.
  1. Brontofobia:
  • O medo de trovões e relâmpagos.
  • Também conhecida como Brontophobia, tonitrophobia ou Ceraunophobia.
  1. Tripofobia:
  • O medo de injeções.
  • Como muitas fobias, o medo muitas vezes não é tratado porque as pessoas evitam o objeto de ativação ( a injeção) e a situação que pode levar a exposição ao agente causador do medo.
  1. Fobias sociais:
  • O medo de situações sociais.
  • Em muitos casos, essas fobias podem se tornar tão grave que as pessoas evitem eventos, lugares e pessoas que são susceptíveis de desencadear um ataque de ansiedade.

9. Pteromerhanofobia:

  • O medo de voar.
  • Muitas vezes tratados com terapia de exposição, em que o cliente é gradual e progressivamente introduzido para voar.
  1. Misofobia:
  • O medo de germes ou sujeira.
  • Pode estar relacionada com transtorno obsessivo-compulsivo.
  1. Claustrofobia:
  • Medo de espaços fechados
  1. Necrofobia:
  • Medo de morrer e/ou de coisas mortas
  1. Escotofobia
  • Medo do escuro
  1. Carcinofobia
  • Medo de câncer

Estas são apenas algumas das muitas fobias que existem. Mesmo se você sofre de fobias específicas e passa a evitar as situações ou objetos que você tem medo, a ansiedade pode causar sintomas de pânico real quando você pensa sobre seus medos. Quando sua fobia se torna tão grave que interfere com a sua vida diária, o tratamento é necessário.

Como as fobias podem ser tratadas no GATDA ?

Fobias, muitas vezes não necessitam de medicação para o tratamento. A menos que uma fobia seja tão grave que interfere na sua vida diária.

Aqui no GATDA empregamos as seguintes técnicas no processo de tratamento:

Terapia cognitiva comportamental que utiliza o método de dessensibilização sistêmica onde o paciente será levado a expor-se lentamente para o objeto temido. Isso normalmente começa com imagens e vídeos, em seguida, gradualmente progride até que você esteja confortável para estar na presença do objeto temido.  Também são aplicadas e ensinadas para o paciente técnicas de relaxamento e respiração, a fim de evitar ataques de pânico.

Se a sua fobia específica está causando uma interrupção na sua vida diária – é importante que você procure tratamento especializado praticado por  um profissional de saúde mental qualificado.

assinatura