A Verdade Sobre os Laxantes – Será que eles ajudam a emagrecer ?

Infelizmente, hoje em dia temos visto na mídia vários anúncios onde os laxantes são apresentados como verdadeiros “produtos de beleza”. Muitos desses anúncios prometem deixar quem os usa com uma barriga “lisinha”, uma pele maravilhosa.

Lembre-se que a função de qualquer anúncio é vender o produto, apresentando-o de uma forma suficientemente atraente, e, oferecendo uma série de vantagens que são muito sedutoras, especialmente para o público feminino. Pode-se até afirmar que atualmente, os laxantes são vendidos como um “produto de beleza para mulheres”, como, se medicamento com uso específico e uma série de efeitos colaterais, pode ser comparado  a um “complemento para a beleza da mulher”, assim como uma maquiagem ou um acessório de moda.

Eu gostaria que na próxima vez  que você fosse exposta a este tipo de propaganda, passasse a enxergá-la com uma outra visão. Afinal , laxantes são medicamentos e, não vão deixá-la mais bonita e/ou  mais magra.

Pare! Analise e Decida  !

Não deixe que uma propaganda decida o que é adequado ou não para você.

assinatura
laxantes

USO DE LAXANTES E DISTÚRBIOS ALIMENTARES – O QUE SABEMOS ?

O uso excessivo de laxantes é PERIGOSO. Pessoas com distúrbios alimentares usam os laxantes como um meio de “eliminar” do organismo as calorias indesejadas, e promover perda de peso. Também abusam dos laxantes porque estão constantemente constipadas (intestino “preso”, sem funcionar), por causa da pequena quantidade de alimento que consomem, não fornecendo uma quantidade suficiente de alimento para estimular os movimentos regulares do intestino. Pessoas com  distúrbios alimentares consomem 1, 2 ou até uma caixa inteira de laxantes diariamente. Muitos passam horas no banheiro sofrendo com os efeitos dos laxantes. Esses efeitos podem ser extremamente dolorosos e até mesmo levar a morte.

Os laxantes funcionam estimulando artificialmente o intestino grosso para esvaziá-lo, porém isto só ocorre DEPOIS do alimento e as calorias terem sido absorvidos pelo organismo. Por isso quem usa laxantes, só está estimulando seu organismo para perder água e mais nada. Uma perda de peso pode ser notada mas é temporária, e, está relacionada com a perda de água; assim que essa água for reposta e o corpo é reidratado essa perda de peso não existe mais.

O intestino delgado onde o alimento é digerido e onde os nutrientes e calorias são absorvidos NÃO PODE SER ESTIMULADO PELOS LAXANTES.

Cada vez que a perda de água se processa, ela pode ser entendida pelo organismo como uma necessidade para reter água, levando a pessoa a sentir-se cada vez mais “estufada”. Nestes casos, a tendência é tomar mais laxantes, acreditando que estes eliminarão o inchaço e levarão a uma perda de peso. Isto como já explicamos, não é verdade. Porque quando e onde o laxante atua, as calorias já foram absorvidas. Além disso todos os laxantes reduzem os níveis de fluído corporal, podendo causar desidratação.

As complicações médicas consequentes do abuso dos laxantes dependem de diversos fatores, incluindo o tipo  e a quantidades de laxantes usada, além de quanto tempo foram usadas. Algumas das complicações mais comuns do abuso dos laxantes são:

laxantes

Constipação: O uso constante dos laxantes causa realmente constipação. Isto pode conduzir as pessoas a  aumentarem a dosagem e/ou quantidade dos laxantes, que por sua vez  somente piora o problema da constipação.

Desidratação: Perda líquida através dos intestinos por causa dos laxantes. A desidratação prejudica as funções normais do organismo.

Desequilíbrio dos eletrólitos : As pessoas que abusam  dos laxantes  frequentemente apresentam desequilíbrios do balanço eletrolítico. Os eletrólitos tais como o potássio, o sódio, e o cloreto são importantes para  as funções da vida. Com diarreia crônica, os eletrólitos são extraídos para fora do corpo através das fezes. Isto conduz a um desequilíbrio do balanço eletrolítico no organismo.

Edema : Como demonstrado anteriormente, os laxantes causam a perda de líquidos. As mudanças ou as flutuações dramáticas no contrapeso fluido confundem os mecanismos protetores de autorregulação , o que faz com que o corpo reaja retendo o líquido. Em conseqüência, o abuso  prolongado dos laxantes conduz freqüentemente à retenção líquida ou ao edema.

Sangramento : Pessoas que abusam dos laxantes, especialmente os do  tipo estimulante, podem desenvolver  processos hemorrágicos internos. A perda crônica do sangue associada com o abuso dos laxantes pode conduzir a anemia.

Função Intestinal Danificada: Pessoas que utilizam de forma abusiva dos laxantes do tipo estimulante, podem desenvolver danos permanentes na função intestinal.

Hipocalemia:  Hipocalemia pode resultar de redistribuição do potássio do compartimento extracelular para o intracelular, deficiência dietética, perdas renais e extra-renais. Na avaliação do paciente hipocalêmico, história e exame físico cuidadosos podem diagnosticar causas como efeitos de medicamentos e perdas extra-renais.
Os conhecimentos sobre a homeostase do potássio também são de valia: níveis de potássio inferiores a 3,5 m Eq/L podem ocorrer nas primeiras horas da manhã, hipocalemia pós-prandial é ocorrência comum. Pacientes com hipocalemia apresentam fraqueza muscular, fadiga, alterações eletrocardiográficas (achatamento de onda T, alteração do segmento S-T e aparecimento de onda U). Pacientes com comer compulsivo ou bulimia podem apresentar hipocalemia devido a vômitos excessivos, abuso de laxantes e/ou diuréticos.

Em geral, a maioria dos casos de hipocalcemia se relaciona à distúrbios do metabolismo, produção ou resposta tecidual ao paratormônio e/ou aos metabólitos de vitamina D. Abuso crônico de laxantes pode ocasionar hipocalcemia.

Cloro: Redução do cloro sérico é freqüente em pacientes bulímicos devido a vômitos provocados e abuso de laxantes.

 ABUSO DOS LA XANTES: MITOS E VERDADES

MITOS

MITO: Se você induzir a diarreia com laxantes, você pode impedir a absorção do alimento e evitar o ganho do peso de corpo ?
FATO:
Induzir a diarreia por laxantes não muda significativamente a absorção do alimento no corpo. Conseqüentemente, os laxantes não impedem significativamente o ganho do peso. O que parece ser uma perda de peso é realmente desidratação ou perda de água. Os laxantes trabalham no intestino grosso, onde afetam primeiramente a absorção da água e dos eletrólitos (como o sódio e o potássio).  Assim, atuam somente depois que a maioria dos nutrientes do alimento já foram absorvidos no corpo.

MITO: Você necessita usar laxantes cada vez que tem uma sensação de “inchaço” e/ou constipação ( prisão de ventre).
FATO:
“Sentir-se” constipado não significa necessariamente que você é constipado. Isto é especialmente verdade para quem tem um distúrbio alimentar. Comer muito pouco alimento ou comê-lo esporadicamente, pode resultar em uma sensação de constipação. Neste caso o problema não é  a constipação mas, os maus e/ou pobres hábitos alimentares

MITO: Quando você é realmente constipado, você precisa  usar um laxante.
FATO:
Pessoas que  usam  quantidades excessivas de laxantes encontrarão eventualmente o resultado oposto ao usar os laxantes, o que causará uma constipação ainda maior.

MITO: Todos os laxantes são semelhantes .
FATO:
Há muitos tipos diferentes de laxantes que são utilizados por via oral, ou na forma de supositórios. Estes  são os que são  geralmente mais  utilizados:

  • Laxantes do tipo estimulante: “Ducolax” , “lacto-Purga” entre outros, além de alguns laxantes denominados “naturais”, como aqueles que contem fenilalanina, ou alguns à base de ervas como sene.
  • Laxantes do tipo Osmótico: Inclui-se nesse grupo o leite de magnésia
  • Outros: Incluindo “metamucil” ou fibras insolúveis. Esse tipo de laxante estimula os movimentos intestinais, e quando estiverem sendo utilizados de acordo com o sugerido ( com grandes quantidades de água), eles não terão os mesmos efeitos físicos no intestino que os laxantes dos tipos estimulantes e osmóticos. Entretanto, quando esse tipo de estimulante for mal empregado ( o que significa o uso constante e em quantidades maiores do que o recomendado), terão as mesmas conseqüências físicas e psicológicas de dependência) que os laxantes regulares.

MITO: Os laxantes, particularmente produtos “naturais”, são seguros.
FATO:
O abuso dos laxantes é perigoso. Independente do “rótulo” de “naturais” eles continuam sendo laxantes – medicamentos que devem ser utilizados sob condições e orientações específicas – e o uso abusivo de laxantes – naturais ou não – continua sendo definido como:

(1) uso do laxante para o controle do peso, ou

(2) uso freqüente dos laxantes durante um período de tempo prolongado.