Dietas Restritivas levam à Compulsão

As dietas restritivas não funcionam. E tem como consequência direta a compulsão.

 

Como isso acontece ?

Imagine que você está “prendendo” a sua respiração por 60 segundos.

Quando você é privado de oxigênio por um minuto, assim que você respirar novamente, sua respiração se tornará ofegante.

Em vez de respirações lentas e normais, o seu corpo “engole” desesperadamente o oxigênio para “recalibrar”.

E, só quando seu corpo volta ao equilíbrio, é que a sua respiração poderá retornar ao ritmo normal.

Você precisa de ar para viver. Ele é a energia vital para cada célula do seu corpo.

dieta restritiva compulsão alimentar gatda distúrbio alimentar obesidade

Agora, imagine privar seu corpo de alimentos por dias, semanas ou meses…

Essa privação pode ser:

  • Restrição calórica (restrição quantitativa) – padrão seguido por milhares de dietas –
  • Restrição a grupos alimentares ou alimentos considerados “ruins” (restrição qualitativa) – diminuindo gradualmente ou radicalmente a sua ingestão.

Talvez você possa até usar a sua “força de vontade”, e fazer isso por algum tempo.

Porém, depois de um determinado período, o seu corpo começa a notar os efeitos deste estado de restrição – o seu metabolismo cai, a sua energia diminui, você está ‘faminto’ o tempo todo, irritável, e obcecado com os alimentos. Ah, e os desejos de comida nunca param !

E, antes que você perceba, você entra em compulsão. E acaba comendo não apenas um daqueles biscoitos favoritos, mas todos eles.

Você se vê engolindo comida – rápido, sem pensar, e, tanto quanto possível.

Você perde totalmente o controle, e passa a se sentir culpado por todas as calorias que você está comendo – embora não consiga deixar de fazê-lo.

A verdade é que, assim como seu corpo precisa de oxigênio, o corpo também precisa de bastante energia que é fornecida a partir da alimentação.

Se ele está sendo privado de calorias – que fornecem nossa energia vital – ele irá buscar comida para reabastecer a energia, e retornar ao equilíbrio.

Esse comportamento não é falta de força de vontade. Não é um fracasso.

É o seu corpo em busca do equilíbrio.

Quando seu corpo é privado de alimentos, ele ativa seus mecanismos de proteção.

Seu cérebro começa a pensar – obsessivamente – em alimentos, como uma maneira de levar você a procurar comida.

Você começa a desejar doces, pães, ou sorvetes porque seu cérebro sabe que os alimentos altamente calóricos com energia rápida (açúcar) são uma ótima maneira de repor os estoques baixos de energia, e elevam o açúcar no sangue rapidamente. Seu corpo não se preocupa com saladas quando seu nível de energia está baixo. Embora verduras possuam uma variedade de vitaminas e minerais, elas não oferecem muito na forma de energia calórica.

Quando você recomeçar a comer, você comerá uma quantidade muito maior de comida, rapidamente. Seu corpo não se preocupa em comer lentamente, e nem de forma consciente após a privação porque ele está tentando obter o máximo que puder antes que venha a próxima “onda de fome” e privação imposta pela dieta. Ele está tentando alimentar o seu cérebro e cada célula do seu corpo. Seu corpo realmente não se importa se você se sentir “estufada”, ou sentir uma dor de estômago. Neste ponto seu corpo só tem como objetivo – finalmente – receber energia.

Por isso, quando você faz dietas restritivas precisa estar consciente do fato de que seu corpo vai precisar – em algum momento – de muita comida.

A verdade é que, as dietas deveriam vir com um aviso com todos os potenciais efeitos secundários (todos acima mencionados além de muitos outros), mas especialmente este aviso é fundamental:

Dieta restritiva aumenta o risco de Distúrbios Alimentares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *