Distúrbios Alimentares em Homens

Quando ouvimos expressões como bulimia, anorexia, transtornos alimentares ou preocupações sobre a imagem corporal, raramente pensamos em homens. No entanto, há mais de 300 anos atrás, o Dr. Richard Morton documentou o caso de um homem de 16 anos com anorexia nervosa. Este é frequentemente citado como o primeiro caso de um transtorno alimentar em um homem. Fatores como vergonha e medo de humilhação pública levaram homens com transtornos alimentares a ocultarem o seu problema.

No entanto, nos últimos anos, mais homens compartilharam publicamente as suas experiências e lutas em torno de seus próprios distúrbios alimentares, talvez em um esforço para reduzir o estigma associado a esta doença no sexo masculino. Há uma consciência recém criada de distúrbios alimentares em homens: a mídia e blogs começaram a incluir relatos e histórias pessoais sobre a luta dos homens com transtornos alimentares, exercício excessivo, dieta extrema, e os seus problemas de imagem corporal. Tais histórias da vida real nos ajudaram a entender a gama de experiências que enfrentam os homens que superaram, continuam a lutar com, ou em alguns casos sucumbiram a um transtorno alimentar.

distúrbios alimentares em homens GATDA

Quais são os fatores de risco para o desenvolvimento de distúrbios alimentares em homens ? 

A maioria dos fatores de risco  comuns e conhecidos para transtornos alimentares aplica-se tanto a homens quanto para mulheres. Influências socioculturais desempenham um papel importante no desenvolvimento de distúrbios alimentares e os homens são expostos às mensagens culturais  que podem aumentar a sua vulnerabilidade para o desenvolvimento de um distúrbio alimentar.

Os transtornos alimentares também são o resultado de tentativas por parte da pessoa para lidar com os problemas através do controle da alimentação e do peso. Alimentos e controle de peso são utilizados na ausência de estratégias de enfrentamento saudáveis para regular as emoções e sentir-se eficiente e no controle. Os homens sentem a necessidade de estar no controle. Do sexo masculino é esperado que ele tenha comportamentos como ‘tomar conta’ e estar ‘no controle’. Ao lidar com questões específicas além de seu controle, os homens às vezes podem deslocar essas ansiedades em seus corpos, manifestando-se no controle sobre o corpo através de exercícios e dieta excessiva.

Há muitos fatores que aumentam a vulnerabilidade para desenvolver um distúrbio alimentar. Estes incluem o perfeccionismo, a obesidade infantil, a herança genética, alimentação disfuncional de um dos pais, ambiente familiar caótico, impulsividade, depressão, dietas e baixa auto estima. Homens nas sociedades ocidentais são cada vez mais cobrados para estarem capacitados para lidar com duas formas de masculinidade:

  • A  maneira “clássica” com características tradicionalmente apreciadas como a independência, autocontrole, força e capacidade de resolução de problemas.
  • A maneira “contemporânea”, onde características como ser emocionalmente sensível e receptivo além de participativo em relação aos cuidados dados à família.

Além disso, a pressão para que o homem se adeque ao estereótipo masculino incluindo um corpo com aparência musculosa também faz parte das pressões socioculturais que os homens e rapazes adolescentes sofrem. Músculos em homens é visto como uma forma de demonstrar poder, caráter e força, e portanto visto como características desejáveis. Dessa forma Transtornos alimentares em homens podem começar com excesso de exercício, o que dá ao indivíduo um sentimento de realização e autocontrole, e, em seguida, ele pode incluir dietas cada vez mais restritivas, levando a um distúrbio alimentar.

Espera-se que os homens “devam” ter apenas um tipo de corpo – a forma física atual do corpo ideal para os homens é a de um corpo musculoso e magro com a exclusão de outros tipos de corpo masculino.

Os homens correm o risco de confundir a imagem de um ‘corpo perfeito’ com sucesso em outras áreas, tais como namoro, conseguir um bom emprego, e desejabilidade social.

Por que distúrbios alimentares são pouco diagnosticados em homens ?

  • Homens são muito mais relutantes em procurar ajuda e apoio para qualquer condição médica e mental particularmente, do que as mulheres.
  • Muitos homens podem se isolar completamente nos momentos em que um suporte adicional seria benéfico, tal como quando enfrentam transtornos alimentares.
  • Estereótipos tradicionais de homens como fortes e invulneráveis podem dificultar o reconhecimento e a aceitação do distúrbio alimentar por parte deles.
  • Transtornos alimentares e outras doenças mentais não são considerados masculinos – os homens podem ser pressionados para esconder os traços de personalidade e vulnerabilidades que têm sido tradicionalmente associados às mulheres. Um desejo de não parecer fraco ou vulnerável levou a um estigma em torno da doença mental que tem atrasado o tratamento e suporte para muitos homens com transtornos alimentares. Esse estigma foi ainda agravado pela crença popular que os transtornos alimentares são uma “doença de mulher”.
    Estas mensagens culturais negativas não refletem as realidades de saúde física e mental em homens.
  •  Isolamento, abuso de substâncias, raiva e automutilação são muitas vezes métodos usados por homens para lidar e mascarar seus problemas em relação a sua imagem corporal, autoestima, e distúrbios alimentares.
  •  Esta situação é agravada pela falta de conhecimento e identificação dos profissionais de saúde de transtornos alimentares em geral, e nos homens, em particular. Muitos profissionais de saúde, pais, educadores e outros profissionais que trabalham com homens e meninos apresentam falta de conhecimento sobre assunto, e muitas vezes têm preconceitos sobre distúrbios alimentares em geral, e em homens em particular.

transtorno alimentar em homens GATDA

Quais são os sinais de distúrbios alimentares em homens ?

Estar ciente sobre transtornos alimentares e agir e tomar uma atitude em relação aos sinais e sintomas de alerta tem uma influência significativa na severidade e duração da doença. Procurar ajuda aos primeiros sinais de aviso é muito importante a este respeito. No entanto, a própria natureza de um transtorno alimentar significa que o doente vai tentar manter qualquer um destes sinais escondidos.

Existem sinais de alertas físicos, psicológicos e comportamentais que podem sinalizar o início ou a presença de um transtorno alimentar em um homem ou em uma mulher, mas existem alguns sinais de alerta que são mais prováveis de ocorrer em homens:

Rapazes e homens que lutam com transtornos alimentares podem apresentar algumas das seguintes atitudes ou comportamentos:

  • Preocupação excessiva com o peso, forma e calorias
  • Tendem a ser perfeccionistas e autocríticos
  • Culpa, vergonha ou segredo relacionados à alimentação
  • Excessivo uso de substâncias e suplementos para aumentar ou diminuir o peso
  • Evitar certos alimentos, especialmente aqueles considerados “engordativos”
  • Sentir-se gordo ou magro (distorção da imagem corporal), independentemente do tamanho do corpo
  • Dietas restritas e exercícios excessivos
  • Insistir em praticar exercícios físicos mesmo quando estão lesionados
  • Apresentar sinais de estresse e ansiedade quando não conseguem treinar
  • Pode existir uma diminuição do interesse sexual
  • Possível conflito sobre identidade de gênero ou orientação sexual
  • O uso de esteroides anabolizantes

Além disso, nossas influências sócioculturais enaltecem que o excesso de exercício e a busca extrema de crescimento muscular são frequentemente vistos como comportamentos saudáveis para os homens, e que esses comportamentos devem até mesmo ser estimulados. A verdade é que essas atividades podem indicar um distúrbio significativo e levar a problemas de saúde físicos graves.

Os homens com transtorno alimentar são tão insatisfeitos com o corpo quanto as mulheres ?

Taxas de insatisfação corporal em homens estão se aproximando rapidamente das taxas em mulheres. Para os homens, insatisfação com o corpo é mais comumente manifestada como a busca de um físico musculoso e com baixo índice de gordura em vez de – o que ocorre nas mulheres – um peso corporal inferior.

Atletas do sexo masculino têm uma maior vulnerabilidade para desenvolverem transtornos alimentares, particularmente aqueles em esportes com uma maior ênfase em classes de peso e ideais estéticos como levantadores de peso, lutadores, ginastas, bailarinos, jóqueis e bodybuilders. Para alguns homens, preocupações acrescidas sobre musculosidade podem tornar-se parte de um transtorno alimentar, caracterizada por percepções distorcidas sobre a massa muscular, e / ou alimentares e exercícios padrões distorcidos.

Os fatores que contribuem para o aparecimento de um distúrbio alimentar são complexos. Nenhuma única causa dos transtornos alimentares foi claramente identificada, mas no entanto, os fatores de risco que contribuem conhecidos incluem fatores genéticos, culturais e psicológicos/comportamentais.